Aviso

É proibida, sem a autorização do cartunista Nani, a publicação de material do blog nanihumor em mídia impressa (jornais, revistas, cartilhas, folhetos etc.) e por editoras para uso em livros. Blogs e mídias eletrônicas poderão repercutir material do blog nanihumor, contanto que não seja para fins lucrativos

O Xerox

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Eu tomava um cafezinho no bar. Dois garçons do lado de lá do balcão conversavam sem cerimônia, e ouvi o diálogo:

— O cara é igualzinho a mim – dizia o baixinho. – O rosto, cabelo, tamanho, tudo, tudo... Se fosse meu irmão gêmeo, não seria tão parecido comigo.

— Sei. E daí? – perguntou o mais alto.

— Acontece que esse meu xerox é gay. E tem um mulato fortão que é gari e que é louco por ele. Me confundiu com o gay, e foi chegando aqui no bar, me arrastou pro canto, foi me beijando, passando a mão na minha bunda... Eu dizia que não era o outro, mas ele era todo braços e mãos na minha bunda.

— E você não fez nada?

— Não pude. O sujeito me ama.

1 comentários:

infinito conveniente disse...

Genial!
Dê uma olhada nessa:
http://infinitoconveniente.blogspot.com/2009/09/fabula.html